30 setembro 2016

Sair da ilusão

postado por Cottage Regressiva



É engraçado eu ainda ter um blog. Mais engraçado é ele ficar fechado por algum problema com layout e/ou manutenção de algum item e as pessoas mandarem mensagens perguntando o motivo, perguntando quando reabre. Mais bizarro ainda, sou eu escrever cada vez menos sobre obesidade/emagrecimento (que sempre foi o motivo principal deste - whatever), mas as pessoas continuarem tendo interesse. Ou seja, mais do que por um mero sentimento de curiosidade sobre como vou na balança, elas levam todo o conteúdo aqui esmiuçado para suas vidas e esta é minha pequena recompensa. Era para ser um blog sobre emagrecimento puro e virou o quebra-cabeça para vencer a obesidade. Era para ser superficial, mas virou profundo e de todo mundo.

Um amigo compartilhou que as pessoas continuam apostando rios de dinheiro na indústria do emagrecimento, porque a realidade da grande maioria é exatamente essa: o sobrepeso, a obesidade e, não ao contrário, como nós simples mortais sempre imaginamos. É fácil nos xingarmos no espelho e choramingarmos no travesseiro como se TODO mundo conseguisse e SÓ A GENTE que não, mas a verdade é que a maioria tem sérios problemas para se manter no foco. Seja por motivos econômicos, seja por motivos emocionais ou por estar sobrecarregado. "Quem quer faz, quem não quer arruma uma desculpa", foi a frase mais infeliz dos últimos tempos, pois anula os sentimentos, as limitações, as doenças. Claro que em meio a milhares, alguns poucos vão conseguir ser essa rocha poderosa, mas infelizmente quem luta contra a obesidade, o sobrepeso e os inúmeros transtornos alimentares existentes, é que são a maioria. 

Mudando de assunto: apesar de querer manter o blog e continuar trocando conteúdo, preciso confessar que estou reduzindo redes sociais para me concentrar no que é realmente importante. O blog Vida Organizada tem posts incríveis a respeito. Aliás, estou lendo bastante sobre otimização do tempo e em breve compartilho autores. 

No momento, estou lendo este livro abaixo e ele tem dicas simples. Cheguei a me surpreender como mudança de pequeninos hábitos na rotina podem melhorar a qualidade de vida de uma família. Mas são mudanças bem simplórias mesmos e isso me atrai. A gente pensa sempre no máximo e esquece de observar as menores atitudes que levam à grandes resultados. Pensem nisso.


🌟🌟🌟 Se julguem menos, se comparem menos e milagres podem acontecer! 🌟🌟🌟


28 setembro 2016

A voz interior

postado por Cottage Regressiva

Pinteret

Se eu pudesse redefinir minha vida profissional - e eu posso - eu gostaria de trabalhar em algo que causasse impacto positivo na vida de outras pessoas. Outro dia, li uma matéria sobre violência emocional e, oh meu Deus, como eu gostaria de trabalhar ajudando centenas de pessoas a resgatar o seu poder, a sua crença em si mesmo. Revolução interior. Aquele poder que é incinerado quando ouvimos desce cedo que tal coisa não é para nós; que o outro pode realizar por ter mil qualidades e nós não; quando somos aprisionados no querer apenas do outro e perdemos a voz, a identidade. Tudo isso faz com que de repente você esteja na vida adulta aceitando qualquer coisa, se autodestruindo ou sem saber do que gosta ou do que não gosta, sem ter a menor certeza do que merece do que deseja do que pode realmente almejar para si mesmo.

Talvez eu nunca tenha dado tão certo nos empregos anteriores, porque na minha cabeça a verdade sempre foi uma só: Pra que toda essa idiotice? Eu trabalhei me forçando a admitir que aquilo era importante mesmo sabendo que não passavam de futilidades inúteis, trabalhei por dinheiro, pra mostrar aos vizinhos fofoqueiros que sou uma boa menina, aos amigos e familiares que sou uma pessoa responsável e, de repente, nada disso importa conforme essa escala doida que a gente cria na cabeça. Escala essa em que a opinião alheia tem mais importância do que a nossa mesmo. Isso jamais deveria existir em nenhuma circunstância. Nenhum sentimento ou opinião merece ser maior do que a nossa voz interior. Já somos cruéis o suficiente com nós mesmos e ainda queremos ter uma vida plena adicionando outras dezenas de vozes que falam mais delas mesmas do que de nós. A gente precisa urgentemente parar de nos apriosionar em nós mesmos. Precisamos buscar a independência financeira (meu objetivo máximo desde sempre), mas antes de tudo, saber que a independência emocional deve caminhar junto nesse processo.


24 setembro 2016

Produtos e penteadeira

postado por Cottage Regressiva

Um marco: ter usado o adstringente da clinique até o final e já estar em busca de outro. Sim, cuidar da pele do rosto virou rotina. Ainda não me dei bem com um antiidade e estou em busca de uma dermatologista para chamar de minha.

Estou pensando em dividir a bancada do office e fazer de penteadeira - com espelho camarim pequeno e tudo. Tipo a foto abaixo. Só que no caso, minha mesona é preta brilhante. Legal, né?


Curtam a vida! 💕💕💕


23 setembro 2016

Mixer

postado por Cottage Regressiva

Séculos sem comer pão integral zero açúcar, mas ontem dei um basta. Fui ao hortifruti e coloquei a despensa em dia. Na correria que foi esse mês por conta da obra, tudo ficou meio de pernas para o ar, mas já reorganizei. Pão branco, seja ele qual for (francês, de leite, sacadura, provolone, careca, suíço), tem esse poder de nos fazer querer sempre mais e mais e mais.



Comprei um mixer e estou in love com ele, porque é super potente. Agora só uso meu mini multiprocessador (que também é ótimo) para ralar legumes. O único problema é que fazer suco verde no mixer fica com aqueles fiapos (que os nutricionistas adoram, pois é onde ficam as fibras), mas eu faço cara feia do início ao fim. O liquidificador tem filtro e facilita esse processo. Mesmo assim ando me enrolando, mas encarando o lance de fazer sucos nele.



Apenas 100 dias para o fim do ano (hoje já são 99). Quantos satisfeitos com suas atitudes, conquistas, planos, nova rotina? Ainda dá tempo de dar aquela respirada e decidir pelo melhor. Só não deixe de acreditar. O sinal, é quando deixamos sempre algo que queremos muito, para o dia seguinte. Não existe mudança de rotina para a conquista de um bem maior sem que cause certo desconforto. O nosso cérebro se acostuma com aquilo e ele mesmo fica martelando para mantermos o mesmo, sempre. Só que nossos pensamentos não nos comandam. Nós que comandamos nossos pensamentos. Se formos firmes e estivermos fechados com nós mesmos, conseguimos abrir caminhos inimagináveis. Acredite! 

Um beijo


13 setembro 2016

Decisões segundo a segundo

postado por Cottage Regressiva

Via 

Eu adoraria que a vida fosse feita em blocos como os filmes e os seriados para que a gente pudesse pular as partes chatas: ficar horas diante do guarda roupa escolhendo algo, procurar o chaveiro, lavar os pratos, guardar os pratos, ficar uns 40 minutos chacoalhando dentro de um ônibus para chegar a algum lugar, haja paciência. Sentimento mais raro em mim do que delineado gatinho (por enquanto para ambos). 

Hoje subi na balança, e é isso mesmo, uma sanfona danada. Eu nem perco mais tempo xingando a genética, indo contra mim no espelho ou lamentando a falta de força de vontade (seja lá o que isso signifique). Eu simplesmente continuo... Nunca estive de braços cruzados diante disso... Cancelo os pães em excesso, os doces extras, os doces extras além dos extras, bebo mais água, diminuo as porções, como mais salada, faço feijão (isso me ajuda oras)... 

A sanfona se fez por conta da minha querida obra, ou melhor, por conta das decisões que precisei tomar nos segundos em que estava me estressando com a obra. E nem vou colocar a palavra querida em aspas, porque daria a ideia de que estou mais odiando essa fase do que amando e isso não seria verdade. Tem uns 10 ou 15% que me irritaram profundamente e que claro (como o prudente Edward Murphy nos ensinou) acabaram dando errado, mas é um grande feito se concretizando e eu estou muito feliz. 

O que não quer dizer que eu já consiga ficar sem ligar para pizza quando vejo que a pia da cozinha (pedra caríssima) ficou mais para torta. O que não quer dizer que pós discussão acalorada com pedreiro cabeça oca eu não fique só pensando em banho, livro e... no pavê incrivelmente crocante de doce de leite da esquina, mais conhecido como "ameniza dores" - e agora aspas merecidas. 

A vida é aprendizado. É saber mais sobre limites e tomadas de decisões segundo a segundo do que a gente imagina. Aquele "não", difícil de sair da garganta, faz milagres incríveis pelo todo, na maioria das vezes, sabia? Agora estou mais focada nisso do que qualquer outro movimento... Não sou boa em equilibrar dois ou três grandes projetos ao mesmo tempo, mas a vida é tão isso... E admitir já é um grande passo rumo à solução.


No momento minha inspiração tem sido os ensinamentos de Rachel Newman (YouTube).
Vai lá!