13 abril 2018

Muitas pessoas...

postado por Cottage Regressiva



Muitas pessoas estão percebendo que rede social não é local de desabafo. Que dos sentimentos mais íntimos, 95% deles, devem ir para o divã. Os outros 5% seriam de colocações políticas, ideológicas e gostos generalizados como preferência por filmes, livros, personagens, decoração, impressões de viagens - sem esquecer as piadinhas famigeradas - etc... 

Eu concordo. Tenho pensado nisso e é verdadeiramente mais seguro e menos frustrante - afinal, colocar nosso coração na roda através de texto a gente coloca, mas dizer que interpretam da forma que gostaríamos que interpretassem já são outros quinhentos. Fora o fato de às vezes o desabafo vir em forma de "me coloca no colo aí" e o povo mais receber pauladas do que o apoio fervoroso esperado. É bem triste na verdade. 

Sabe, eu sempre fui do tipo mais isolado. A escrita sempre foi minha salvação, mas eu escrevia para mim. Não tinha intenção de convencer ninguém de nada. Quando criei o blog os tempos eram outros e eu era uma menininha imatura, assunto velho, mas escrever ainda é minha fuga, ainda é onde tomo um fôlego. Vira e mexe estou no Instagram tentando compartilhar minhas ideias ou contribuindo com o mundo levantando alguma bandeira, mas definitivamente não tenho grandes intenções com nada. Eu faço para me aliviar. Escrevo para deixar para mim mesma as impressões sobre o momento, minha torcida por isso ou aquilo e meu posicionamento diante da vida.

De vez em quando, faço a linha enigmática, porque o que interessa é olhar e lembrar. Olhar e voltar no tempo através das minhas fotos. O que quero é dizer para mim mesma: 
- Olha aí você, realizando grandes sonhos; lendo aquele livro bobo que achou que seria o máximo; comendo aquele doce na patisserie que acompanha no Pinterest; mordendo a língua por ter achado bem bonitinho o look que estava bem na dúvida ou pensando em como fiz aquela maquiagem - incluindo meus cílios mega gigantes do carnaval.

Eu só quero olhar e me ver livre, evoluindo, quem sabe falando até menos e vivendo bem mais. Cada dia registrando uma vida que faz TOTAL sentindo para mim, mesmo não fazendo o menor sentido para os outros. Tenho conseguido e isso é uma graaaaande conquista! Acreditem! :-)


08 fevereiro 2018

O ano começou...

postado por Cottage Regressiva


O ano começou maravilhosamente bem por aqui! Entre tantas listas e rabiscos e desenhos em meu bullet journal, pude perceber a necessidade do ano ser mais rico em experiências - tradução: tirar sonho do papel. O que significa que a energia será direcionada em menor escala para "coisas" e em maior escala para uma espécie de ao invés de ter ↔ fazer. Apreciar. Desbravar. Realizar. Percorrer. Realinhar. Conquistar. Saborear. Inundar. Sentir. Permitir. Conectar. Admirar.

Estou dando risada do que vem por aí, porque eu, definitivamente, quero me jogar e me permitir todo tipo de sentimento. Emoção? Pode chegar. Diversão? Fica aqui lado a lado. Olhos marejados? Quero mais. Alegria infantil? Me pega. Sonho adolescente? Manda. Se fico estupefata? Pronta. Novidade? Desbravo. Risco? Corro. Paixão? Me inunda. Encanto? Me toma. Amor? Já faz morada, então, só se MULTIPLICA ↔ por mim, pelo outro e pela vida!


O que estou lendo no momento:  
🚩FOME - Roxane Gay
🔥🔥🔥Achando sensacional!


Perguntas sobre as redes sociais:

🚩Definitivamente NÃO curto facebook e nem páginas do facebook e não consumo mais conteúdos colocados nele - apesar de ainda ter minha conta pessoal e entrar quase nunca.  Não vou nem entrar no mérito de "grupo de whatzapp", porque $&₩¥&$! Pinterest = inspiração! Mas o que gosto mesmo é do Instagram, mas não consigo atualizar duas contas, gente! No Instagram consigo ver as fases da minha vida em fotos e aquece meu coração. Brinco muito, reflito muito e agradeço muito. 

No ano em que meu perfil era público e passei um programa para retirar perfis fakes e ele, erronemente, tirou mais de 2000 seguidores eu levei um susto, mas whatever. Digo "erroneamente", porque só fui perceber quando comecei a receber 'protetos' de alguns amigos via what e de alguns seguidores via mensagem privada :-/ rs 

Entretanto, hoje tenho o pensamento consolidado de que menos redes sociais proporcionam MAIS QUALIDADE DE VIDA. Reflita você também, afinal, quanto tempo perde dedicado a isso? Ganha algo em troca? Você tem um negócio/serviço ou só divulga publicamente sua vida pessoal por divulgar? É uma diversão compartilhada ou uma tortura em busca de autoafirmação? São muitos os pontos. Analise e veja se de fato TODAS essas redes sendo utilizadas ao mesmo tempo estão contribuindo para a sua melhor versão.  

Você me encontra no Instagram como: @eurachelrachel 


Um beijo :-)


07 janeiro 2018

Ano novo e olhar novo!

postado por Cottage Regressiva



Eu ainda não sou magra - e talvez nunca seja. Eu ainda não emagreci o tanto que queria - e na luta contra mim mesma talvez tenha engordado mais. Eu fugi pela terceira vez da cirurgia bariátrica e encerrei com alegria esse assunto na minha vida. Ainda não me olho no espelho e amo tudo o que vejo, mas já me olho no espelho e não odeio tudo o que observo. Já não questiono o motivo de ser amada, acolhida e elogiada - eu mereço, por motivos que vão além da minha forma física, cada um desses presentes. Físico, mental e espiritual, o conjunto que forma o tal do eu sou. Então é hora de entender que a vida é feita de ciclos, que se encerram no momento em que outros começam a girar, e assim sendo, nem sempre conseguimos sair ilesos de todos eles. Cada ciclo conta uma parte importante da nossa história. Se foi através da comida que mantivemos nossa sanidade em alguns desses ciclos: tratem de se perdoarem.

Tem uma galera muito boa fazendo todo um barulho a respeito de aceitação corporal. Aceitação é diferente de não mover nenhuma palha para cuidar de si mesmo, principalmente, se estiver com a sua saúde prejudicada. Aceitação é basicamente parar de se encolher e parar de se isolar por estar acima do peso. É ter voz, é sentir-se seguro na própria pele, é separar forma física de caráter, é ter uma rotina que te faça feliz, é autocuidado, é autorresponsabilidade, é autoamor. É luta por uma sociedade que respeite as diferenças. É fazer escolhas que mais agreguem do que te agridam. É como muita roupa pequenininha que você vai precisar de uma vez por todas doar, mas é também muita gente tóxica, que de uma vez por todas, você terá que largar - loading. É viver sem deixar mais nada para depois - para o próximo verão. É abrir teus olhos para o fato de que a cada segundo a vida passa e não aproveitá-la é a maior forma de ingratidão que você pode ter para consigo mesmo.

Feliz ano novo! 


27 abril 2017

Vida saudável em compasso

postado por Cottage Regressiva

Aprendi que a vida saudável só é possível quando colocamos nossas expectativas dentro de nossa realidade. Eu estou aqui neste momento buscando receitas práticas e saudáveis para o dia na dia, porque definitivamente já esgotei meu arsenal de receitas triviais e já estamos enjoados. De tudo. Por outro lado, minha busca me leva a opções bem surpreendentes e faz com que eu me sinta uma mulher das cavernas na cozinha, afinal, são receitas bem diferente com conceitos bizarros. Por tudo o que já passei no mundo das nutricionistas e dos modismos, me recuso a acreditar que carpacio de melancia seja uma "ótima opção de entrada" para a minha família. Simplesmente distante demais e já não sou a pessoa que sofre por não conseguir pegar esta ou outras ondas do momento.

O que busco é um modo simples de preparar um peixe, por exemplo. E se me ensinarem qual peixe, será ainda melhor. Sei que ele pode ser feito no forno, enrolado em papel alumínio, então eu só desejo que ele seja bom o suficiente para que nos faça desejá-lo tanto a ponto de fazermos peixe mais vezes. Estou buscando o modo como apresentam legumes brilhantes e cheios de temperos nos restaurantes. Eu podia jurar que aquilo ficava ótimo por ser frito, refogado, cheio de óleo, mas acabo de aprender que os temperos frescos como salsa, manjericão, coentro, precisam ser adicionados nos legumes ainda quentes e regados com azeite de boa qualidade. Então é isso que eu quero. Não quero comprar cogumelos caríssimos nas gôndolas para o cotidiano e, sim, saber adicionar sabor aos alimentos acessíveis e que ajudam de alguma forma meu organismo. Quero saber saborizar cremes com mais propriedade e não sair jogando de um tudo que no final não sentimos o gosto de nada. Eu quero o simples, o mais enxuto e saboroso.

Eu vou conseguir! 


Filme lindo - Um divã para dois

postado por Cottage Regressiva


Que filme maravilhoso! Que filme delicado, tocante e que sentimos tudo junto à Kay bem aqui, do outro lado da tela. A verdade é que só escolhi esse filme por causa de Meryl Streep - pra mim se tem Meryl Streep já entro no filme gostando, tipo a expressão "já é meio caminho andado".

Agora, como é importante sermos atentos aos detalhes dentro de um relacionamento. Como um toque, um gesto, um simples sim dentro do casamento, pode fazer uma diferença enorme. Nós mulheres precisamos de pequenos atos todos os dias para sentirmos a relação de forma positiva e, sim, vou falar apenas das mulheres e deixar os homens para lá - alguém bem barbudo que defenda a sua espécie. Eu vou falar do quanto é desagradável um homem achar que só porque está debaixo do mesmo teto que a esposa que isso significa estar junto. Levantar para visitar parente é passeio a dois. Que presente para a casa é presente que pode ser considerado especial. Que se tem selinho todo dia é porque tem romanceSomos inclinadas a surpresas, a uma flor, a um pedaço de chocolate mordiscado pelos dois... Qual a dificuldade? Tempo? Se hoje estamos vivos, tempo é o que não falta e não é desculpa para nada.