26 agosto 2013

Sinopse dos três livros de Geneen Roth sobre emagrecimento

postado por Rachel





Geneen Roth é sucesso em mais de 40 países e já atingiu milhares de pessoas através da tese de que: o seu hábito alimentar está diretamente ligado as emoções que carrega dentro de si. Para a autora a comida pode ser utilizada como uma forma de anestesiar ou mesmo de lhe distrair das suas questões mais profundas, lhe jogando para compulsões ou para a percepção errônea de seu próprio corpo.

No livro "Mulheres Comida e Deus" senti que o intuito de Geneen não foi julgar as mulheres e dizer que elas devem de uma hora para outra mudarem radicalmente seus hábitos alimentares, mas foi realmente dizer que acontece em milhares de lares o fato de pessoas utilizarem a comida como uma forma de compensação para suas inquietações interiores. O livro frisa a necessidade de desvendarmos nossas questões que geralmente vem de um passado mal resolvido e de aprendermos a ouvir os sinais de nosso corpo. Achei que o livro traria algo mais engessado em relação a religião, mas a autora cita "Deus" como uma forma de nos fazer entender sobre a necessidade de estarmos conectados a algo maior, a algo que nos dê paz de espírito, que nos faça enxergar nossa importância ímpar nesse mundo.

No livro "Liberte-se da fome emocional", a autora ensina de forma mais prática como você pode começar esta mudança. Geneen atendeu o pedido de suas leitoras que ficaram perdidas ao lerem seu primeiro livro. Elas entenderam que a relação que tinham com a comida era reflexo de um emocional desestruturado, mas ficaram sem saber por onde poderiam iniciar esta mudança. Será que daria para elas começarem este novo processo do ponto exato onde estavam? A autora afirma que sim, mas através de muito trabalho consigo mesma. O livro traz técnicas e exercícios para que se desvende a diferença entre a fome física da fome emocional, formas para identificarmos a saciedade com mais facilidade, ferramentas para aprendermos novos métodos de observar a nós mesmos e de desfocar da comida sempre que alguma situação emocional não vai muito bem.

Já no livro "Descobrindo o prazer além da comida" o que prende é o fato dos exemplos serem muito reais, Geneen compartilha suas próprias experiências, seus próprios dramas pessoais e familiares. Aqui ela explica por que confundimos tanto a comida com amor e mostra com mais precisão a grande cilada que é ter a comida como aliada nas grandes crises. A autora faz uma análise profunda das questões relacionadas à comida para que cheguemos ao resgate da autoestima, deixando bem claro, que esse controle é algo para a vida toda e que só depende de nossa aliança com nós mesmas. Depois de mais de 30 anos de estudo sobre o assunto e de ter sofrido na pele a magreza e o sobrepeso, a autora mostra o quanto conseguiu superar seu emocional e cuidar de si mesma após ter desvendado e encarado de frente suas decepções, carências e medos do passado.


12 comentários:

  1. Estou muito curiosa para ler os livros dela, em especial o segundo que citou. Depois que eu conseguir ler dou aqui o meu parecer. Bjinhos e ótimo começo de semana!

    ResponderExcluir
  2. Nunci li os livros...a oprah falava muito deles...
    Tenho de comprar.
    Quantas vezes estamos tristes e depois compensamos com comida? eu ainda ontem..com chocolate

    ResponderExcluir
  3. Já li "Mulheres, comida e Deus", achei ótimo, para ler e reler..os outros ainda não conhecia!

    ResponderExcluir
  4. Passando pra me atualizar e desejar uma ótima semana...

    ____(`*•.¸ (`*•.¸ ¸.•*´) ¸.•* )
    _..::¨`•.¸ * BEIJÃO CUTE *¸.•`¨::..
    ______.(¸.•*(¸.•*´ `*•.¸)*•.¸)...

    http://cutetapemeasure.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. ótimas dicas como sempre!
    vou procurar!

    ResponderExcluir
  6. Adorei esses livros, vou procurar eles e vou começar a ler.
    Obrigada pela dica!!!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  7. Eu me policio muito, pois sou compulsiva. Qualquer aborrecimento ou frustração era motivo pra comer feito doida! Tomei consciência disso aos poucos, percebendo quando acontecia e porquê. Hoje, tento não cair nessa cilada. Mas, é uma luta diária, temos desafios sempre e precisamos achar modos reais de resolvê-los.

    Uma mavilhosa semana pra você!

    Cheiros

    ResponderExcluir
  8. Não adianta, a nossa relação com a comida, especialmente como brasileiros, é MUITO emocional. Basta a gente lembrar q uma maneira q nossas avós e mães, em especial, têm de nos agradar é nos oferecendo a comida q mais gostamos. Acho q a grande questão é mesmo saber equilibrar as coisas, dando a comida o peso q ela tem e não um excessivo ou diminutivo. Me exercito nesse sentido e posso dizer, quase quatro anos depois de começar o meu processo de emagrecimento, q a vigilância tem q ser mesmo constante. :)

    ResponderExcluir
  9. só conhecia o mulheres, comida e Deus, q vi uma entrevista da autora no programa da Oprah uns anos atrás e fiquei super curiosa pra ler (mas não li).
    Agora fiquei com vontade de ler os 3. eu preciso dos 3, super me identifiquei só ao ler seu comentário.

    Beijosssssssssssssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderExcluir
  10. oi Rachel, adorei as indicações, depois vou ler.

    Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Eu já li o primeiro e agora estou lendo o segundo!
    Obrigada pela terceira indicação!
    Abraços
    Grazi

    ResponderExcluir
  12. Que interessante esse seu parecer sobre Mulheres, Comida e Deus, Rachel… fiquei com muita vontade de ler. Os comedores compulsivos falam a mesma coisa, sabia? Da importância de se conectar com algo muito maior. Porque é uma forma de termos uma força a qual nos apegar, sabe? Tenho um pouco de pena de quem não tem fé em nada…

    De qualquer modo, adorei o que li, referente aos 3 livros e, já os coloquei nas minhas listas. Obrigada por compartilhar.

    Bjs

    ResponderExcluir