07 setembro 2015

A questão é... Obesidade

postado por Cottage Regressiva


Pinterest


Eu já fiz vários textos e preferi guardar para mim, pois o que tenho em mente sobre o que é a obesidade é verdadeiramente duro e complexo. Eu precisaria falar de profissionais e sua falta de atualização e/ou sensibilidade para lidar com pacientes que sofrem desse mal. Eu precisaria entrar no mérito de que todo obeso empanturra o estômago para esvaziar a mente e isto está longe de métodos enlatados que jogam sobre nós todos os dias. Eu precisaria dissertar sobre tudo que vejo e que ainda sou muito contra, mas que muitos andam vendo como tábua de salvação no agora, sem pensar um segundo sequer no amanhã.

O planeta precisa de ajuda. A obesidade cresce em escala assustadora... Muita gente ofertando ajuda, muita gente tentando entrar nesse campo delicado, muita gente tendo o obeso como um tesouro para os seus negócios, mas sem saberem absolutamente NADA do que estão falando ou com o que verdadeiramente estão lidando. Talvez eu tenha que ser uma dessas pessoas que saem pelo mundo em profunda pesquisa, montando um quebra cabeça minucioso do que é todo o processo de sair da obesidade, para que eu mesma consiga colocar para fora todos os sentimentos ambíguos e toda tonelada de gordura protetora. Tanta gente vomitando soluções, mas esquecendo do âmago da questão, em minha opinião.

Ainda estou lendo um dos livros da MJ Ryan (A aventura de viver seus sonhos) e me deparo com isso: uma mãe obesa que entrou junto com a filha de 16 anos em um desses programas de TV que promovem o emagrecimento. A garota já apresentava sintomas de diabetes. A mãe estava na casa dos 100 quilos e a filha já pesava mais do que a mãe. Quando se deu conta dos números na balança da filha, essa mãe se pôs a chorar e a chamar para si toda culpa, repetindo que só queria que sua filha fizesse o que a deixava feliz. Aí entra a autora do livro e diz algo muito pertinente: se uma mãe não tem em mente que prazer momentâneo não é o mesmo que a felicidade de se ter saúde e boa forma, como poderia passar isso à diante? Evidente que poderíamos discutir outras frentes, a dos industrializados, dos comerciais alienantes, mas ninguém vê sua saúde indo embora, seus movimentos, sua vida social como um todo e, não se mexe, se não tiver algum ganho por trás de tudo isso. "A única razão por que os hábitos persistem é que eles estão oferecendo alguma satisfação. Você permite que persistam quando não procura nenhuma outra forma melhor de satisfazer as mesmas necessidades". (Juliene Berk)

Aí eu entro nessa história para dizer que muitos de nós são ou foram vítimas de vítimas, crescemos com uma visão equivocada do que é prazer, divertimento, alegria, amor próprio e amor ao próximo. Ter apreço por si mesmo é diferente de ser egoísta e narcisista, ao passo que estar para o outro é diferente de se anular pelo outro. Dependendo de sua condição de vida, muitos fizeram da comida uma incrível fuga dos outros e de si mesmo. A nossa sorte é que na vida adulta temos todas as ferramentas para consertar isso - o que não quer dizer que seja fácil e instantâneo, afinal, mudar um hábito requer que estejamos preparados para sentir muito desconforto durante o processo. 

Estou num processo de dominar o meu vício por comida (praticamente vivendo o famoso "um dia de cada vez") e de aceitar que reeducação alimentar é um desafio, emagrecer e permanecer magro é outro. Sim, duas metas completamente diferentes que queremos para ontem. Portanto, estou de quebra tratando o meu emocional da melhor maneira que posso: com terapia, com bons livros, com boas conversas com quem passa ou já passou por isso e buscando pela cura do TODO. Cada um precisa buscar o seu caminho, a sua saída, a sua resposta. Eu também ficava esperando que outras pessoas passassem suas fórmulas secretas para mim, mas a condição de cada um é diferente da do outro. Então encorajo a você que busque saídas para a sua obesidade com responsabilidade e amor por si mesmo, pois sendo encarado como "um dia de cada vez" o caminho é possível de ser transformado. Acredite em você.


14 comentários:

  1. É esse o caminho, Rachel... VC É MUITO ESPECIAL ; ) @tathimssantos

    ResponderExcluir
  2. Tem que ser pra vida inteira, então para mim não pode ser algo sacrificante, encontrar o equilíbrio é o segredo parece fácil falando, mas também não é impossível uma hora nos encontramos, um dia de cada vez, força pra nós, bjs

    ResponderExcluir
  3. Um dia de cada vez. É o que tem sido para mim. Não quero estipular metas sacrificantes e inalcançáveis, mas quero ter os pés no chão e aceitar que para uma obesa que achava que comida era sinônimo de felicidade, emagrecer 1 ou 2 kg por mês é vitória. Te acompanho sempre e amo seus post's. Boa sorte e devagar e sempre. Beijo grande!

    ResponderExcluir
  4. Assim mesmo. Emagrecimento não é só o processo de fazer dieta. por isso muitas pessoas vivem em efeito sanfona. emagrecimento é auto conhecimento. que conceitos tenho da vida que me fizeram chegar atá aqui? Porque como tanto quando algum sentimento está incomodando? O que penso de mim mesma, o que sou para eu mesma?
    Muito compliado. Claro que não tem duvidas que dar o primeiro passo para ter uma alimentação e uma vida saudável é essencial. porque de algum ponto temos que começar. mas se compreender e compreender o lugar que ocupamos no mundo é essencial para que esse processo de emagrecimento, não seja de mudanças temporárias e só no corpo, mas que seja para toda vida e na mente. até por que se não for assim, mesmo anoréxica a pessoa nunca será feliz. O que nos faz feliz é nosso relacionamento com nós mesmas, não tem jeito!

    bjus

    ResponderExcluir
  5. Pois é xará, o processo de emagrecimento é muito mais complexo do que relatar o dia a dia de comidas. Nunca estive na obesidade só sobrepeso, mas acompanho o dia-a-dia do meu marido. O vício de comer é o que tem que ser dominado a cada refeição. Vejo ele emagrecer 10 quilos, engoradar 10, emagrece 7 engorda 8, emagrece 9 engorda 7 e assim vai indo... um eterno sobe e desce. Agora ele está disposto a procurar ajuda psicologica/psiquiátrica, todas as outras tentativas de só nutricionista funcionaram e voltaram a falhar. Ele tem que estar de bem com ele, luta diária e eu só posso e devo apoiar :) Boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Oiee, Raquel! Pois é, a obesidade é algo que deveria tomar mais espaço nas discursões atualmente, já que o índice de obesos só aumenta no mundo! E infelizmente isso ta longe de acontecer. Mas nós sabemos o quanto é difícil a luta de cada dia para combate-lo!
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  7. Concordo com vc Rachel , descobrir o que nos engorda, ir atrás daquilo que nos emagrece e viver o "um dia de cada vez" é o caminho possível mesmooooooooo

    Acreditar em nós mesmos + foco no emagrecimento é meio caminho andado para o sucesso do emagrecimento .

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Estou indo ao psiquiatra para cuidar geral e de vez em qd faço terapia só para segurar esse lance com comida. Emagreci bem sozinha mas tá difícil demais manter. Meu plano de saúde tem um esquema legal aqui no Rio. Sai 30,00 por consulta. Ta ajudando mt.

    ResponderExcluir
  9. Quando precisamos resolver um determinado problema, geralmente buscamos as causas/o que gerou o problema para assim elucidá-lo. Mas, quando se trata de obesidade é diferente, tem sempre alguém com uma fórmula pronta para nos indicar(mesmo quando não pedimos). Cuidar da alimentação, fazer atividade física resolve...é tão simples não é mesmo? Não, não é. Obesidade é doença.compulsão é uma mistura de culpa, de emoções reprimidas, de inadequação, de frustrações engolidas diariamente. Junto com a comida colocamos muita coisa para dentro! Talvez o "segredo" seja colocar para fora.

    Beijo! Adoro o blog! Força!!!
    Verônica

    ResponderExcluir
  10. Nunca vi um texto que expressasse tão bem o assunto. Parabéns. Realmente não tem formula secreta. Cada um é unico e vive de situações e experiencias diferentes. Gostos diferentes, tempos diferentes. É muito complexo.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. "Cada um precisa buscar o seu caminho, a sua saída, a sua resposta. Eu também ficava esperando que outras pessoas passassem suas fórmulas secretas para mim, mas a condição de cada um é diferente da do outro. Então encorajo a você que busque saídas para a sua obesidade com responsabilidade e amor por si mesmo, pois sendo encarado como 'um dia de cada vez' o caminho é possível de ser transformado. Acredite em você."

    Falou TUDO. Bem, não sou nem nunca fui obesa e às vezes acho meio complicado comentar qualquer coisa quando preciso perder no máximo 15 kg... Porque é óbvio que não sinto isso na pele da mesma forma, mas torço MUITO por você e acredito que esteja no caminho certo. Já comentei uma vez que não teria toda essa coragem de me expor tanto nesse aspecto em um site pessoal público. Também tenho vontade de falar um monte sobre tantas coisas com que não concordo e acabo guardando pra mim... quem sabe um dia - estou para desativar meu blog e criar outro, mas ainda não consegui me organizar para isso. No mais, acho que é o melhor que você faz: afinal, sem tratar o emocional, não vai ter fórmula mágica que funcione.


    :* Rachel!

    ResponderExcluir
  12. Adorei o texto! É exatamente isso que você diz: todo mundo vem com fórmulas prontas ou, pior, apontando o dedo para o obeso, sem nunca se colocar no lugar dele e de como ele chegou onde chegou. Eu posso tirar por mim: depois de uma infância altamente problemática, com pai alcoólatra e mãe imatura; uma adolescência complicada fora da casa dos pais na qual todo mundo me passava na cara que estava me sustentando, me ajudando dessa ou daquela forma; de segurar a barra de sete mortes na família em pouco tempo e de enfrentar sem ajuda uma depressão pesada, ainda tive que ouvir que engordei porque sou desleixada e não tenho força de vontade. Queria ver se outra pessoa estivesse na minha pele como se sairia. É muito fácil apontar o dedo quando não é você quem está sofrendo. Mas agora vou tentar juntar meus caquinhos e começar a cuidar de mim. Um dia de cada vez.

    ResponderExcluir
  13. Oii Rachel, bem legal see blog. Eu engordei muito nos últimos anos, também tive tragedias como outros por aqui, mas o que me importa hoje não é mais justificar e sim foco em mim e ser feliz.
    Tentei vigilantes (gosto do método é ainda utilizo algumas ideias), não consegui. Só quando descobri que tinha um descontrole comecei a traçar um caminho. Faço TCC há um ano e estou amando, sou ativa mas também cada vez mais itensifico as atividades físicas e modalidade. Resolvi finalmente a ir num endocrinologista nutrólogo. Estou amando! Tenho tomado remédio sim, mas pq noto que faltava isso para complementar meu tratamento para compulsão. Amo cada vez mais comer coisas saudáveis, a comer proteína em todas as refeições conforme foi me passado (ajuda na saciedade, mesmo antes de tomar o remédio senti isso). Não exclui o carboidrato, mas decidi pela terapia a desgostar de alimentos vazios, ruins e sem valor nutricional como biscoitos fofura. Não é melhor comer um bom camarão? E estou feliz em seguir um cardápio saudável, em 3 semanas comi um chocolatinho, ou algo no meio do caminho, mas POUCO. Porque quero aprender que se comi algo fora da rotina saudável, será pouquinho e não me fará chutar o balde. É isso, quero voltar a ir a praia feliz comigo mesma, ficar com o aspecto de mais nova, ser saudável e comer por fome, nos horários e não porque estou triste ou cansada. Vida nova e um controle natural de uma alimentação saudável para todas nós. Sucesso e continue nos seus objetivos, porque eu tenho certeza que conseguiremos. Beijos, Lívia

    ResponderExcluir