07 outubro 2015

Aceitação

postado por Cottage Regressiva



Você só muda aquilo que aceita, jamais aquilo que rejeita. Ouvi essa frase da minha psicóloga e chegamos à conclusão de que preciso fazer um trabalho mais forte em aceitar a mim mesma. Na terapia cognitiva comportamental existe a ferramenta chamada "cartão de enfrentamento" e ele consiste basicamente em ser uma ficha, que você saca nos momentos críticos, para lembrá-lo dos motivos que o fizeram iniciar o processo. É uma forma de chamá-lo ao encontro do real motivo pelo qual começou e pelo qual precisa continuar. Exemplos clássicos sobre emagrecimento: Quero emagrecer para brincar com meus filhos; minhas taxas estão ruins e não quero ficar diabético; quero emagrecer para parar de tomar remédio de pressão; quero emagrecer para deixar de ter vergonha de mim e sair mais com os amigos. 

No meu caso, ela resolveu fazer diferente. A tarefa consistiria em tirar fotos exatamente da forma que tenho dificuldades de me olhar (sentada ou só dos braços) e mandar revelar. Atrás de cada foto eu escreveria: EU MEREÇO mudar, porque...  e sacaria esta foto em todo momento que pensasse em desistir da dieta*. Para mim, a foto por si só já mexeria com meu emocional a ponto deu desistir de qualquer torta ou de cometer aqueles famosos deslizes com recomeços programados para o dia seguinte. Mesmo assim eu fiz o trabalho do "EU MEREÇO" atrás da foto, para firmar o compromisso de estar trabalhando em prol da minha autoestima que estou focada em fortalecer.

Este é um processo muito particular e, por vezes, doloroso. Talvez seja bom estar acompanhado de um profissional, caso julgue necessário. Você se põe a todo instante em contato consigo mesmo e admite de uma vez por todas que a responsabilidade dos muitos quilos a mais é apenas sua - por mais terrível que seja essa constatação. Desta forma fica mais fácil assumir toda a responsabilidade pelo processo de mudança.


*Quando cito "dieta", quero salientar que é um programa alimentar prescrito por um profissional da área de nutrição, para as suas necessidades individuais. Não confundir com restrição alimentar severa e sem qualquer qualidade nutricional.


10 comentários:

  1. Nossa Rachel é bem assim que me sinto as vezes...
    A questão da foto realmente é bem complicada e parece bem eficaz..
    Me falaram uma coisa hoje pela manhã que fique a pensar...
    'Quando tiver em casa e quiser comer algo tipo um x-tudo,uma pizza fique pelada e coma em frente ao espelho e veja sua reação! Aff me deu um frio na barriga,mas acho q vou tentar fazer isso
    Beijos e força pra nós!

    ResponderExcluir
  2. É bem assim mesmo Rachel, acho que as fotos são bem mais crueis do que a balança, quando eu vejo as minhas fotos antigas eu penso essa não era eu, e quando vejo as de agora só assim percebo o quanto eu ainda tenho que melhorar, essas fotos sem 'truques', sem poses pensadas são realmente reveladoras, mas não vamos desistir, um dia de cada vez fazendo o certo, como você disse sem dietas radicais que mais pra frente irá prejudicar a nossa saúde, força pra nós, bjs

    ResponderExcluir
  3. Se eu disser que te entendo bem, não estarei exagerando. Eu também detestava olhar a minha imagem refletida onde quer que fosse, me escondia das pessoas, torcia pra não encontrar nenhum conhecido na rua... mas pra ser bem sincera, eu não tinha a real noção do quão enorme eu estava, sabe? Só agora, quase 50 kg mais magra, é que eu consigo ter essa ideia, vendo (e provando) as minhas roupas daquela época... eu não sei nem explicar o quanto isso mexe comigo. Ouvi falar desse "cartão de enfrentamento" quando li o livro "Pense Magro", da Judith S. Beck; você deve conhecer também. Enfim, acho super válido esse esquema (e o das fotos, como a sua psicóloga sugeriu). Se vai te fazer encarar a realidade sem "vista grossa", vale mesmo a pena tentar o método. Mas, se eu puder te dar uma dica, ela seria: NÃO SE ABANDONE. Mesmo estando do jeito que não gostaria no momento, você tem o DIREITO de aproveitar tudo o que tiver vontade. Não se menospreze, não sinta raiva de si mesma. Eu falo por experiência própria, Rachel. Não vale a pena e, infelizmente, a gente demora muito pra aprender isso. Na verdade, aprendemos quase sempre "pela dor" mesmo, né.

    Eu gosto muito dos seus textos, sempre consigo me identificar com o que você escreve e com a forma como se expressa. Você deve ser uma ótima jornalista! ;)

    Fique com Deus e mantenha-se tranquila. Eu super concordo com a frase do início, que a sua psicóloga falou. Se é preciso aceitação pra que haja mudança, então comece já. Não protele mais. Você merece viver da melhor forma que puder! Não abra mão disso.

    Beijão!

    http://www.euleitora.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Rachel!!!

    Nossa me vi no seu depoimento! Eu acho que agora me aceito um pouco, porque antes era muito dificil. Gostei da técnica da sua psicóloga, a da foto, mas ainda não tenho coragem de fazer comigo, odeio a maioria das minhas fotos, e isso é muito deprimente.

    Mas vou lutando, um dia de cada vez.

    Quando puder venha me fazer uma visita:

    http://avidafitness.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Querida Rachel, eu sei qual é esse sentimento de vergonha de si mesmo. Também já passei por ele e sei o quanto dói e o quanto nos privamos da vida por causa dele. Desejo que vc tenha toda a força do mundo para transformar esse sentimento em admiração. Admiração por vc mesma, por quem vc é! Não desista, vc consegue!! beijinho

    ResponderExcluir
  6. Meu terapeuta sempre me fala isso, da aceitação. E não é fácil, esse conceito, sempre questionei. "Como assim, se eu me aceito ser insegura? Claro que não". Até o dia em que eu entendi, num insight. Só a partir daí consegui perceber que se aceitar é o primeiro passo para mudar. E gente, parece tão óbvio, né? Mas quando você pára pra pensar sobre o que é aceitação, vc vê que não é nada óbvio.

    Sempre que trato desse assunto na terapia, lembro de uma imagem fofa que vi na internet (essa aqui: https://paulairrita.files.wordpress.com/2013/01/vocc3aanc3a3opodeselivrardosseusmedose280a6masvocc3aapodeaprenderaconvivercomeles-e2809d.jpg?w=400&h=400). Pra mim, a aceitação é isso, é conseguir chamar o seu "defeito" (milhões de aspas aqui, né?) pra tomar um chá! :)

    beijo!

    ResponderExcluir
  7. A questão das fotos é a mais difícil pra mim... afinal, desde que comecei a engordar cinco anos, AINDA não consigo me enxergar como estou hoje em dia e, quando vejo fotos minhas atuais, quase toda vez é um choque - não tenho mais vontade de tirar (passei meu aniversário no Caribe e odeio quase todas as fotos em que apareço) nem de comprar roupas.

    Mas tenho trabalhado cada vez mais meu interior pra que as mudanças exteriores reflitam tudo isso. Mudei o foco de "emagrecer até o meu aniversário/Ano Novo/Verão" pra "buscar uma rotina saudável que sirva pra MIM, um dia de cada vez: sem pressa, sem pressão... buscando progressão e não perfeição. Também acho importante, além de assumir essa responsabilidade, parar de se punir por tudo isso e se perdoar, sabe? Você não fez nada disso querendo machucar a si mesma, apenas foi a forma que encontrou em certa época pra lidar com algo com que não conseguiu e/ou achou que não conseguiria de outra forma. Na sua penúltima postagem você fala sobre esmiuçar o passado, e eu lembrei da Geneen Roth falando que nós temos que entender que aquela pessoa faz parte de você, mas não é mais você HOJE, "você hoje" não pode mais deixar nada nem ninguém te fazer mal se você não permitir - ou coisa que o valha.


    No mais, fico feliz que tenha voltado e reaberto o blog (logo na semana que queria aquela receita do sanduíche da salada de ovos, assim que voltou já copiei hahaha!)! Acho super válido que não queira detalhar seu processo de emagrecimento diariamente aqui. Apesar de muitas vezes todos nós nos ajudarmos, é MESMO um processo particular. E outra, o blog é seu e você faz o que quiser... De qualquer forma, gosto tanto desse espaço justamente por ele ser diferente da maioria dos blogs de emagrecimento hoje em dia (parei de seguir quase todos, usou a palavra "fitness" eu tô dando unfollow hahaha), adoro esses vários assuntos e interesses que compartilha por aqui e pelo Instagram.



    :* Rachel!

    ResponderExcluir
  8. Eu só percebi o qt precisava emagrecer qd, um dia, me vi sentada em um café, de tarde, na Lapa. Meu braço, barriga peito... Daquele dia em diante foram mt erros e acertos. Até hj me olho mt pelada no espelho do quarto e noto qd vou engordando. Sempre penso em por outro enorme! Foi o q me fez enxergar tudo de verdade!

    ResponderExcluir
  9. Já passei por muitos momentos de vergonha, não é fácil, cheguei a depressão, não conseguia me aceitar e não tinha forças para mudar, o que me ajudou tbm foram as fotos. Hoje mesmo ainda não estando no peso que quero, já consigo me aceitar melhor.

    ResponderExcluir
  10. Como amor ler seu blog..acho que você está no caminho certo, se respeitando e seguindo seu ritmo. Estou tentando encontrar o meu também. Hoje tomei uma bofetada moral na cara...numa conversa no grupo de whatsapp que tenho com amigos do trabalho, uma colega postou "Gente, tem comidinhas aqui no setor, podem vir tomar o café da tarde aqui" e eu respondi "Ebaaa...já já tou aí!" ao que ela me respondeu "você eu já sabia que ia vir" =(

    ResponderExcluir