04 janeiro 2016

Quem quer uma estrelinha?

postado por Cottage Regressiva



Menos doze quilos, no meio a consulta com o cardiologista e ele nem aí pro meu feito. Pra ele só serve quando eu chegar ao peso ideal... Citei isso, pois quando estamos muito acima do peso ficamos tão sensíveis, tão vulneráveis. Lembro bem do dia em que meu treinador chegou na praia e eu imediatamente levantei os cinco dedos para dizer que já tinha eliminado cinco quilos em duas semanas. Ele me olhou friamente e disse: você sabe que é o começo e que isso não quer dizer grande coisa, não sabe? Recuperei os cinco quilos em poucos dias. Não parei de treinar, mas parei de controlar o que comia, tamanha frustração com a reação dele. Aparentemente meu esforço não impressionava mais ninguém, nem a mim mesma... 

O que acontece nesses casos é que a criança interior necessita ter sempre o ego acariciado. Não há nada de tão errado com isso, afinal, quem não gosta de um elogio? O problema começa quando você sempre precisa do incentivo externo, do grito do outro, do reconhecimento instantâneo, porque aí você fica condicionado ao julgamento dele e perde a preciosidade que é o autovalor. A melhor comparação é aquela que fazemos da gente com a gente mesmo. Ora, perder 12 quilos para mim ainda é estar longe do peso ideal, mas me fez descer mais um número no manequim - achei uma calça descolada pro ano novo; me fez ver a minha autoestima aumentar mais um pouco; me fez dormir melhor... Detalhes que podem parecer pequenos aos olhos dos outros, mas que são conquistas preciosas para nós...

Vocês sabiam que alguns terapeutas julgam o diário online aberto para falar do engorda-emagrece como um ato de necessidade de atenção? Segundo eles, nosso corpo é algo tão íntimo e pessoal que poderíamos muito bem manter um diálogo com nós mesmos sem intermediários, produzindo igual ou melhor efeito no processo. Será que em um contexto mais amplo precisamos mesmo disso? Bom, eu defenderia o diário aberto como troca de experiências em diferentes escalas, mas já recrimino as mentes que acham que devem mais satisfação ao outro do que satisfação a si mesmas. Já pensei em, por exemplo, fechar comentário e ficar mais livre para escrever sobre o que bem entender sem os julgamentos tão fervorosos, mas aí talvez perdesse a essência da troca, que é exatamente o que me faz continuar. Eu leio e assisto tantas pessoas que me ajudam sem saber e acabo em algum momento querendo dar um "oi, estou aqui, gratidão", então... Resgate o seu poder! Precisamos ser nossos próprios incentivadores - eu ainda estou trabalhando dentro de mim esta questão e isso por si só já é um grande feito.

*** Aliás, continuar com o blog ou manter apenas a página do facebook?
Qual a opinião de vocês? 


17 comentários:

  1. Oi querida eu entendo perfeitamente o q vc diz. Se te serve de consolo, eu pesava 107 quilos e emagreci 17. Sabe quantas pessoas disseram que emagreci? ninguem. Ai, com 17 quilos a menos (q não é pouca coisa) pois de 107, ja estava com 90, para testar as pessoas comecei a comentar q ia inciar uma dieta, p ver se alguém dizia q já emagreci. Sabe quantas pessoas disse q emagreci?? minha mãe apenas disse q parecia q emagreci uns 3 quilos. Minhas amigas ninguem percebeu e olha q deu uma diferença enorme. As roupas q eu usava nem servem mais... Ou seja, as pessoas nem estão nem ai. Mas pensa q desanimei??? simmmmmmmmmmmm, chorei, lamentei, engordei uns dois quilos, mas ja to de volta com os 17 a menos e quero perder mais 10 até março. Vão tudo a merda. Eu vou emagrecer, mesmo q as pessoas não dão os gostinhos de dizer q perceberam. Vamos a luta....

    ResponderExcluir
  2. Continue com o blog. Adoro lê-lo.

    ResponderExcluir
  3. Sabe, 12kg é muita, muita, muita coisa! Como leio seu blog há algum tempo, imagino que você deve ter se vencido em vários aspectos para conseguir ótimos 12 em pouco mais de 2 meses. É muita coisa! Mas sim, o incentivo quase nunca vem de fora. E pelas minhas experiências frustradas, raramente vem de médicos...

    Não acho que falar de si, desabafar seja buscar aprovação. Amo escrever, por que não compartilhar minhas ideias? Acho que esse tipo de ideia - a de que falar de si em blog é querer aparecer - deve ter surgido depois do excesso de exposição dos usuários do Facebook...

    Aliás, por favor mantenha o blog! rsrrsrsrs

    Beijos, parabéns e muito sucesso na caminhada!

    ResponderExcluir
  4. continue com o blogue, leio no trabalho e aqui não tem facebook!

    PARABÉNS pelos seus 12 kilos perdidos, pela calça no ano novo e por estar dormindo melhor! beijos

    ResponderExcluir
  5. Continue com o blog, lendo seus textos e o modo prático e claro como trata os temas delicados aos redor do emagrecimento é incrível. Realmente o incentivo de terceiros é importante, minha mãe sempre quis que eu perde-se 5 quilos, quando perdi, ela me disse para perder 10. Nem preciso dizer que engordei de novo né.

    ResponderExcluir
  6. Continue com o blog, desde que recomecei em 2013 minha intenção foi eliminar peso para me sentir bem, no meu ritmo do meu jeito, desde então é o que tenho feito, coloquei a meta final em 60 quilos, mas lembto muito bem de quando cheguei aos 66 me senti muito bem, nao vou ser uma pessoa magra com esse peso para 1,55 cm, mas pouco me importa quero minha saude e o prazer de viver sem contar tudo o que gosto, o importante é estar bem com vc, claro que gostamos de elogios mas não espere muito dos outros, bora continuar no seu ritmo, bjssss

    ResponderExcluir
  7. Não sabia que tinha página no face..vou procurar! E parabéns! 12kg é muita coisa sim =)É que pras pessoas que não vivem nossas lutas, eles acham que é tudo muito fácil e nos recriminam. Mas ainda verão nossas vitórias!

    ResponderExcluir
  8. Rachel, você é o único blog de emagrecimento que eu leio na atualidade. Não só porque gosto muito de você mas também porque sinto honestidade nos seus textos. Você compartilha suas descobertas e evoluções com alma. Nao identifico em você necessidade de atenção como vejo em outros blogs. Mas Pode sim ser um inimigo enorme o diário on-line se virar uma dependência por aplausos ou colo. Enquanto me trouxe benefícios eu bloguei, até que vi que, embora ajudasse muita gente, pra mim não estava mais ajudando. Então, enquanto estiver ajudando a você em primeiro lugar, fique sim por aqui. Sou muito grata por todos seus textos. Beijos enormes, Amiga! Carla Pancja

    ResponderExcluir
  9. A felicidade e a diferença que a eliminação de peso traz é tamanha que queremos partilhar. Mas me sentia péssima ao ver aquele olhar de "grande coisa" :( agora conto só pra quem eu acho animador contar, sei que devemos ser autoestimulantes, mas se as pessoas soubessem a enorme dicerença que faz com um simples ato, olhar, um elogio incentivador (pra qualquer coisa) elas fariam mais. Parabéns pelos 12 quilos! ....o face serviu apenas como um aviso que tem post novo, aí venho correndo pra cá! rs. Mas gosto da fanpage tbm, sem neuras!😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!!! Ah, um elogio é sempre bem vindo!!! Sempre!!! Mas estou com vc, falo cada vez menos desse meu processo. O bom do blog é poder desabafar com quem realmente vive o mesmo. Bjão

      Excluir
  10. Rachel! Feliz 2016! E parabéns pelos menos 12 kg!!

    QUE delícia ler tudo isso por aqui agora nessa época de final/início de ano o/


    E é por essas e outras que voto pela continuidade do blog: é um dos MUITO poucos que ainda leio e acho que você é BEM o contrário desse pessoal que quer chamar atenção... que quer se promover criando um blog depois de já ter emagrecido e ainda se diz "influenciadora" AH VÁ!! Adoro seus textos, seu jeito de escrever e como você é "vida real" - e tive medo que tivesse abandonado tudo isso de vez... Lógico que nós teríamos que entender e respeitar essa decisão, mas ver você a Larissa voltando com tudo esse ano é TUDO de bom!!!


    AH: quanto à necessidade de elogio em relação ao emagrecimento acho que dos profissionais de saúde deve ser sim bastante frustrante levar um balde de água fria assim, mas quanto às outras pessoas, sinceramente nem ligo... Em 2015 pude conhecer melhor sobre alimentação consciente, alimentação intuitiva, nutrição comportamental e luta contra padrões corporais e uma coisa que eu tô aprendendo a exercitar é que não tem porque a gente comentar sobre o peso do outro, a não ser que essa pessoa te dê liberdade para isso. Embora ninguém goste de estar acima acima do peso, não acho legal tratar quem é magro como uma pessoa melhor só por ter essa característica física, assim como quem é gordo não é necessariamente preguiçoso, sedentário e etc.


    :* Rachel!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Nádia! A alegria é minha de te ter sempre por aqui acrescentando na minha jornada!!! Que seu ano seja maravilhoso!!!! Bjssss

      Excluir
  11. Posso falar uma coisa? Troca de médico (pq eu sei q vc não tá mais com esse treinador). Cada quilo emagrecido é sim pra ser comemorado, não apenas por vc mas tb pelas pessoas q de certa forma estão com vc nessa jornada. Entendo e apoio a ideia de q vc deve ser sua maior incentivadora (especialmente pq vc é sua maior sabotadora), mas aqueles q caminham com vc precisam compartilhar sim os pequenos passos.

    Vc sabe bem q obesidade é uma doencça crônica q envolve muito mais fatores q a maioria das outras doenças. E vc sabe, e eles tb, como é complicado quebraqr o círculo vicioso e finalmente começar a emagrecer. Por isso digo e repito, cerque-se de quem, mesmo q profissionalmente, ampare vc. Sim, pq eles estão lá pra puxar a orelha. Mas eles tb estão pra te colocar pra cima.

    Falo isso pq uma das nutricionistas por quem passei, nas 3 ou 4 consultas em q estive com ela, não cansava de repetir enquanto eu estava me pesando: "Vc sabe q com o montante de peso q vc perdeu e q ainda vai perder vc vai precisar de uma plástica, né?" Sério, era praticamente a única coisa q ela me dizia e nada mais. Claro q eu tinha ideia de q realmente precisaria disso (tant é q fiz), mas estava ali pra chegar ao ponto em q seria necessário. Além disso, e se eu simplesmente não quisesse operar ou não pudesse? Não era da conta dela aquilo. Daí, simplesmente procurei outra.

    E quer saber? Melhor decisão da vida! Achei uma parceira q me acompanhava semanlmente, q se alegrava com cada quilo perdido, q dava os puxões de orelha e me ajudava a entender qndo a balança não baixava mesmo eu fazendo a minha parte. Qndo decidi correr 10km, ela mudou minha dieta. Qndo resolvi não comer carne por um tempo, fez o mesmo. Enfim, ela tava comigo no processo de corpo e alma.

    Me desculpe o textão mas vou falar de novo: vc precisa ser seu maior incentivo. Mas se não se cercar de gente q esteja no mesmo barco q vc, chega uma hora q bate um cansaço enorme de remar sozinha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rê, vc é sempre tão sensacional! Gratidão por vc em minha vida, mesmo que de longe! Me faz ver a mesma coisa com outros olhos e sei que vc só exala amor! Gratidão por cada palavra

      Excluir
  12. Bom dia!

    Nossa! Que texto incrível! Amei! Obrigada!

    Você disse tudo! Está super de parabéns pelo peso perdido, é sim MUITA coisa!

    Não ligue para o que as pessoas falam ou não falam, sei que é difícil, muitas vezes precisamos nos sentir acariciadas sim e quando os elogios não vem acaba batendo o desanimo...
    Esse foi um dos motivos que me fizeram mudar de atitude ultimamente, decidi parar de me preocupar com o que os outros pensam a meu respeito, vou viver a minha vida do meu jeito e quem quiser que me acompanhe!
    Lembre-se que muitas pessoas querem sim nos ver bem mas NUNCA melhor que elas então FAÇA por você e conte comigo!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Ai...postei um grande coment... mas perdi! Humpf... vamos lá tentar reproduzir.
    Fico impressionada como as pessoas gostam de desestimular os outros e mais ainda quando esses "profetas do desânimo" são os pais. Os meus são assim, sempre me desestimulando. Quando eu era gorda, era porque era gorda, quando solteira, porque era solteira, quando casada, porque havia parado de trabalhar e agora separada é porque estou separada. Fico chateada, mas vejo que eles não são assim apenas comigo, mas com quase todo mundo o que inclui eles mesmos.
    As pessoas gostam muito de ser agraciadas com expressões como "fulano é um guerreiro" , "fulana é muito batalhadora", mas se esquecem de que os desafios são pessoais. O que é difícil para mim pode não ser pra você e para outros e vice-versa. Passei por isso com meu ex marido, uma pessoa realmente muito esforçada que começou a vida como trabalhador rural e hoje é médico. Por isso, sempre me "jogava na cara" que eu não sabia o que era passar dificuldade. Em compensação, ele nunca soube o que é ter um dependente químico na família nuclear. Eu passei por isso. Nunca passou pela situação de acordar cedo, ir pra escola pública, fazer estágio à tarde, ir pro cursinho à noitinha, chegar em casa dez da noite e... ir estudar e depois dormir com fome, para não ver um ente querido completamente alcoolizado! E quando outro familiar se compadecia e me levava comida no quarto, ainda escutar, a voz pastosa de alguém embriagado dizer: não pode comer! Já está uma baleia! Ou algo do gênero. Mas o ex estava tão envolvido com sua própria situação que era incapaz de reconhecer o esforço de outrem. Assim, são as pessoas, muito voltadas para si mesmas. Na minha opinião, seja perder muitos kg, ingressar em uma faculdade quando não se tem condições financeiras, passar em um concorrido concurso público, criar filhos sozinha (o) após a viuvez ou divórcio, superar ou conviver com uma grave doença, cada um tem seus desafios. E uma luta não é maior nem melhor do que a outra, são apenas coisas diferentes. Assim como eu passei por dificuldades com um parente dependente químico, outros passaram por outras dificuldades. Penso que o que falta nas pessoas é julgar menos e amar mais. Simples assim.

    ResponderExcluir