08 fevereiro 2016

Sentir-se menos

postado por Cottage Regressiva



Ser obeso é bem difícil, ainda bem que reversível. Quando tudo inicia você mal percebe qual caminho está tomando e, de repente, boom: uma pequena limitação aqui, outra grande limitação ali ou um problema de saúde acolá. Pronto, está instalado o transtorno e você começa a se achar menos. Quem dera que fosse apenas menos dinâmico para subir uma escada ou fazer meia hora de esteira, mas você começa a se sentir menos capaz na vida como um todo. Começa a pipocar o pensamento de ser menos querido, menos produtivo, menos capaz, menos digno disso ou daquilo.

Começo falando desta forma para deixar claro que não sou a favor de estar muito acima do peso e, simplesmente, deixar para lá. Sou a favor de você lutar com unhas e dentes até conseguir imprimir novos hábitos que favoreçam imediatamente sua saúde. Infelizmente, isso não ocorre instantemente para a maioria, muito menos na vida daqueles que tem muito peso a perder. 

Por outro lado, hoje tenho a consciência de que não há motivos para uma pessoa sentir-se menos por estar acima do peso. Se o ser humano que você é acredita que precisa ter X peso para ser feliz e ser aceito, ora, é normal que sinta-se absolutamente frustrado enquanto não atingir a sua meta. Perde-se a oportunidade grandiosa de extrair da vida tudo de melhor que ela tem a nos oferecer durante o processo. Perde-se a oportunidade de ir valorizando o que vem trocando de velho para novo. Pesando menos ou pesando mais você merece respeitar seu próprio corpo e merece ser respeitado. Você merece amar e ser amado. Você merece se divertir, progredir, sonhar, realizar, viver rodeado de bons amigos.

Nenhum número na balança por menor ou maior que seja consegue arranhar os princípios que carregamos dentro de nós. Arranha autoestima, mas não arranha honestidade, não arranha bondade, não arranha conquistas, repito, não arranha caráter. Esse, a gente pode pesar quanto for que continua lá, intacto. Vamos viver honrando a nós mesmos independente de peso, porque ele definitivamente não nos define em NADA. 

Batendo nessa tecla, pois ando tão orgulhosa de mim mesma ultimamente em relação ao emagrecimento e minha nova postura que vem apresentando resultados... Hoje entendo a importância da atividade física diária, da alimentação mais saudável que sai da minha geladeira ou da que opto na rua, mas sem sofrimento, sem utopia, sem acreditar que algum profissional milagroso vai fazer algo por mim instantaneamente e me tornar naquilo que não sou ou naquilo que não faz o menor sentido para mim. 


4 comentários:

  1. Essa mudança de pensamento entre alguém fazer algo por nós e nós mesmos fazermos é um start na qualidade de vida, de existência. Uma mudança de atitude que faz mais pela autoestima e pelo emagrecimento do que qqr dieta da moda. E é lindo quando acontece. Eu ainda estou atrás disso, às vezes ainda me pego pensando que podia ser mais rápido, que podia "acontecer alguma coisa", sigo no caminho!
    um beijo

    ResponderExcluir
  2. Está mt certa. A academia aceitei faz anos. Não gosto! Mas vou 5x semana. Tem q ir como se vai trabalhar e ponto!
    Essa semana dei entrada ao cadastro de vitamina do VP. Estou feliz. 2 médicos indicaram e fiz pesquisa no seu blog. Vi q vc aprecia o método de anotar. Fui é deu certo. E nele entendi q academia não emagrece, mas resolve os nossos excessos
    Nesses 4 anos me integrei ao saudavel e organico, adquiri resistência na academia, meus exames estão perfeitos. Não foi rápido não. 23 quilos em quase 2 anos. Sozinha. + 8 em 8 meses, por conta de 1 remedio. Fui VP e menos 12 em 4 meses. 6 semanas manutenção. E estou mt satisfeita comigo. Ainda posso emagrecer, mas nada de metas de qd tinha 15 anos!
    E assim vamos indo de vagar e sempre. É compromisso com nós mesmas.

    ResponderExcluir
  3. Oi, que legal, que bom q vc está feliz consigo mesma. Torço para que continue assim.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Estou me conscientizando também: "Hoje entendo a importância da atividade física diária, da alimentação mais saudável que sai da minha geladeira ou da que opto na rua, mas sem sofrimento, sem utopia, sem acreditar que algum profissional milagroso vai fazer algo por mim instantaneamente e me tornar naquilo que não sou ou naquilo que não faz o menor sentido para mim. "

    É isso...

    ResponderExcluir