25 maio 2016

A loucura patrocinada

postado por Cottage Regressiva

Nem tudo que parece, é

Acompanhei três yoturbers que gosto fazendo uma dieta super restritiva. Tudo foi devidamente registrado no famoso: diário da dieta. Coincidentemente (ou não) estavam frequentando a mesma clínica onde faziam as visitas periódicas às suas nutricionistas. Era forte ver cada uma resistindo aos doces, dizendo não para os carboidratos, para as bebidas alcoólicas, para as guloseimas de cada novo evento e lanchando sempre os mesmos coquinhos com água - de côco. Aliás, as noites regadas à sashimi (salmão em lascas) e os famosos cones - sem arroz, claro - também eram todas bem parecidas.

Fico pensando em quantas pessoas não se contorceram vendo tais vídeos, querendo ter a mesma disciplina - e o dinheiro para as tantas vezes de mercado com seus carrinhos recheados de produtos sensacionais para a dieta. Outra grande coincidência, era ver cada uma delas contabilizando no calendário quando seria o fim de seus cardápios detox e já planejando onde seriam suas "jacadas" homéricas para compensar todo "martírio" e "comemorar" os resultados.

Ao fim de três longas semanas - cheias de excelentes resultados conjugados com personal e academia - quem foi que saiu da dieta e conseguiu voltar? Hoje pipocam os vídeos de: "dieta restritiva não é para mim, gente", os vídeos de pratos mega calóricos em restaurantes maravilhosos, momentos em família e em viagens se jogando no doce favorito e até série onde uma delas diz: "viver é isso, gente" e empunha a taça de martini. Quantos jovens não acompanharam essa loucura patrocinada!? Quantos não devem ter sugado seus pais e mães para ser iguais aos ídolos?

Eu já fui assim. Lia um único blog de quem verdadeiramente conseguiu dar conta da obesidade e achava que isso poderia ser instantâneo para todo mundo. Até que descobri que somos pessoas diferentes, com realidades diferentes, com objetivos diferentes, com contas bancárias diferentes, com criação diferente e com necessidades diferentes... E o que mais me aborrece em tudo isso é ver profissionais surreais prescrevendo modismo e depois deixando todo fardo do fracasso para nós, porém, a culpa não é sua. Falo por experiência própria que são poucos os preparados para lidar com quem somos de verdade. Que se preocupam com o ser humano como um todo e se põe a tratar com respeito nossas questões e limitações. É como um amigo que pesa mais de 110 quilos falou: Será que dos meus três pães francês da manhã ela não poderia a princípio ter reduzido para um? Agora com o preço de tudo isso que tenho que comprar para fazer o cardápio, vou ter que cortar alguma coisa. Ah, vai ser a academia... Que lástima!


11 comentários:

  1. Existem coisas que são difíceis com ou sem dinheiro. Emagrecer é uma delas.
    Eu também acredito que cada um tem o seu caminho para emagrecer.
    O que está na moda não serve para todos nós!
    Gostei do post!
    Um bom feriado.

    ResponderExcluir
  2. Comecei a acompanhar algumas blogueiras por volta de 2012 (coincidentemente, três também) e foi engraçado como mais ou menos na mesma época, entre meados de 2014 e 2015 todas engordaram de novo boa parte do que tinham emagrecido - "jacadas" comendo tudo e mais um pouco que não podiam durante a dieta, bode dos exercícios e por aí vai. O mais triste foi ver a frustração e o medo de "não ser mais uma inspiração" para suas seguidoras por ter "falhado". Infelizmente, ao invés de questionarem tudo isso mais profundamente só pararam de seguir a moda anterior para seguir outras novas, como demonizar absolutamente tudo o que tenha açúcar/glúten/lactose e idolatrar o ~estilo de vida paleo~

    Acho triste, triste... mas parei de seguir. Detox que funciona pra mim é desse tipo de perfil.


    AH: QUANTO dinheiro não gastei com manipulados "para diminuir a vontade de doce" (que eu sequer tinha!) e ingredientes "esotéricos" (como eu chamo todos esses superalimentos que até ontem ninguém tinha ouvido falar mas que se você não consumir vai ter uma baixa muito grande na sua saúde) além das próprias consultas. E a culpa por comer certos alimentos em certos horários que também não existia... O terrorismo sobre eu ter gordura no fíagado que o hepatologista (um dos mais "top" de Brasília) e a médica que fez a ecografia se perguntaram de onde tinha vindo isso... O tempo que eu levei para entender que, na prática, plano alimentar e dieta são as mesmas coisas. Em julho completo um ano sem nutricionista, depois de três longos anos de acompanhamento e só MUITO recentemente estou conseguindo me livrar de toda essa mentalidade de dieta.


    :* Rachel!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dei risada com o desabafo sobre manipulados pros doces, porque eu também já fiz parte desse time, irmã!!! Toca aqui!!! Nunca foi páreo pra uma torta de limão

      Excluir
  3. Fazer dieta sem cuidar da compulsão é começar algo pelo fim. Nenhuma orientação, mais ou menos restritiva é sustentável diante dessa questão tão séria que é a compulsão alimentar. Cuide da compulsão e vc encontrará a dieta certa para o seu perfil.

    ResponderExcluir
  4. eu sigo vc há muitos anos porque gosto de como vc escreve, gosto das reflexões e isso me interessa como pessoa e por ser da área de saúde. mas tava lendo os últimos posts e uma coisa me tocou. vc falou que passou esses anos todos falando de emagrecimento. ok, entendo que coisas bem feitas precisam de amadurecimento, de uma "digestão" pra não ficarem capengas e não resolvidas. e vc pensou em bariátrica. aí fico pensando... já tinha dado tempo de emagrecer mil vezes. e é por isso que acho que vc se agarra a alguma outra coisa. enfim, tem muita coisa que tá "na moda", mas que, na realidade, era usada antes da década de 80. década de 80 foi nosso boom aqui no brasil de academias, de dietas da moda, etc. dietas com pouco carboidrato e mais gordura (com proteína ok, nem pouca, nem muita) existem há muito tempo. a retirada de gordura e calorias da dieta aconteceu drasticamente a partir da década de 70 lá fora e 80 aqui. então o que foi moda? na realidade, essa moda de comermos pouca gordura é que finalmente tá passando. graças aos céus. uma dieta com pouca gordura é péssima pra compulsivos, por exemplo. a gordura dá mais saciedade. aí vc pensa "lá vem uma pregadora de low carb páleo". nem sou. leio muito sobre tudo isso e minha nutri me passa uma dieta c pouco carbo (não tão pouco que eu entre em cetose), quantidade ajustada de proteína e gordura. e há felicidade nessa alimentação! muita! mas a comida não é o que comanda minha vida. nem falo "existem outros prazeres". não, comer é um grande prazer. principalmente quando a gente foge de compulsão e proibição. compulsão não traz felicidade. fico vendo no instagram a /diariodeexobesa , por exemplo. ela não tem muita grana, ela não come coisas carésimas (come no refeitório da universidade), não fez tratamentos estéticos.e come low carb, sim. e come umas comidas lindas! simples, mas lindas! eu mesma na dieta poderia tomar nada de suplemento. tenho opção de tomar whey numa refeição porque é qdo eu estou na rua e me facilita. então, sei lá. se vc chegou a pensar no extremo da bariátrica, por que não dar uma última chance então pra comer pouco carbo, mais gordura, mais proteína? e não é proteína em excesso. a oms manda 0.8g de proteína pra kg de peso corporal pra pessoas sedentárias. pra vc ver como se come pouca proteína. "ah, mas eu quero comer o que entendo por normal". eu acho bem sintomático qdo uma pessoa diz que não quer de jeito nenhum parar de comer ou comer menos algo. isso é normal? a comida manda na pessoa? é menos drástico bariátrica ou comer menos carboidrato, mais gordura e mais proteína? então, operando vc comeria o que vc entende por normal? conheço gente que ficou super feliz com bariátrica. conheço gente operada, que não consegue comer muito pra não entalar, mas pesa 150kg. e gente que tem que comer o tempo todo porque deu problema em absorção. então, sabe, são escolhas, sim. vc pode escolher comer tapioca, doces, etc etc. jamais julgaria, mas a coisa de passar anos tentando fazer uma coisa sem "chegar lá" é complicada. pô, vc tem um blog que é material pra um livro sobre emagrecimento, mas não emagreceu. e aí? não tem algo esquisito? dava pra ter feito graduação em nutrição e ser sua própria nutricionista! enfim, só me manifestei por conta do seu outro post em que vc fala isso, de escrever sobre isso e ter isso como assunto de um blog. desejo o melhor pra vc, mas pesquisa sobre low carb, peça pra um nutri fazer isso por vc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço seu comentário. O que escrevo aqui no blog é apenas 5% da minha vida como ela é. Evidente que já emagreci bastante nesses últimos anos tentando mil possibilidades e engordei e emagreci e engordei e emagreci e engordei. Nada é estático, porém, o que busco é constância nessa vida dita saudável. O que escrevo são pesquisas e experiências feitas por mim mesma e a vida de cada um de nós apresenta tanta diferença, não é mesmo? Hoje não operaria de jeito nenhum, pois sinto verdadeiramente que não é para mim. Eu prezo por mudar a cabeça e meus sentimentos antes de tudo... Creio estar no caminho certo apesar de ainda não ter chegado lá e ainda não ter achado certos profissionais para chamar de "meu". Agradeço seu comentário, já leio sobre o citado acima e quero aprender mais sim. Muito obrigada

      Excluir
    2. Aliás, eu voltei para dizer uma coisa... De vez em quando, eu penso o motivo de ainda ter um blog... Ser cobrada por resultados espetaculares... Eu poderia escrever de forma privada e fazer tais análises da mesma forma, afinal, elas são em primeiro lugar para mim mesma... Mas são comentários como o seu que me fazem manter isso aqui aberto, a troca, a discussão, o levantar de bandeiras.... Obrigada mesmo

      Excluir
  5. então, moça, eu jamais te cobraria resultados maravilhosos. até porque eles nem sempre são duradouros. eu realmente fiquei tocada com o que vc tinha dito sobre escrever sobre emagrecimento. dá época que comecei a ler vc, muitas mulheres ou apagaram o blog ou fizeram bariátrica ou se resolveram de outros jeitos. o que me agoniou foi exatamente vc assumir isso. do tempo que escreve um blog de emagrecimento (tem outro post tbem sobre botar em prática, me lembro). e eu acredito que vc faça mil outras coisas da vida (afinal, internet, nutricionistas e médicos não são de graça), mas pensa: vc fez um blog de emagrecimento porque isso foi importante pra vc. e o mantém porque é importante pra vc. não seria bem mais legal que emagrecer não fosse mais essa pedrinha ali dentro do sapato sempre chamando atenção enqto vc caminha? é isso que falo. sem modas, sem coisas drásticas, sem o "agora vai". mas algo pra vida. e a população em geral come errado, sim. a gente desaprendeu isso. muito por conta de indústria. a felicidade veio pra mim no dia que eu mal comprava coisa em embalagem, não pensava no que eu deveria comer na próxima refeição... isso é bem libertador. se eu mostrei a moça que emagreceu 79kg não foi nem pra mostrar que vc teria que ter um resultado igual (o meu, por exemplo, nem é, é hipertrofia sempre), mas pra mostrar que até uma pessoa simples, sem grana, pode se libertar. até acho que postar sobre comida e corpo como ela faz todo santo dia tbem tem suas questões a resolver (e quem não tem?), mas uma coisa ela mostra: é possível, é menos sofrido do que se pensa. e é libertador. pode apagar meus comentários, se preferir. mas desejo de verdade que isso se resolva pra vc. virar essa página. felicidades...!

    ResponderExcluir