03 maio 2016

E os benefícios do diário?

postado por Cottage Regressiva



Muitos profissionais indicam esta forma de expressão quando estamos em terapia. Ter um diário é uma prática de séculos, porém, eu estava pensando aqui com meus botões: quando que fazer um diário ganhou espaço na forma online ou seja, pôde se tornar algo compartilhável? Já encarei o blog desta forma. Era época da inocência. Época de escrever pensamentos, passos, experiências pessoais, colocando tanta informação para fora com a intenção única e exclusiva da troca com outros indivíduos que passavam pelo mesmo. Começávamos o blog/diário quebrados emocionalmente, com template grátis, acreditando fielmente que escreveríamos ali e esvaziaríamos nossas almas - talvez, este tenha sido o maior erro em décadas. Jamais imaginaríamos o momento das críticas arrebatadoras (que beiram a maldade) ou em comentários do tipo "me inspiro em você" (nos condicionando a virarmos os maiores algozes de nós mesmos). Começamos a não nos permitir errar. Começamos a nos cobrar mais do que estávamos prontos para realizar. Tudo virou uma questão de prazo, meta, material de qualidade para mostrar (sendo esse material nós mesmos). Para uns funcionou por um tempinho curto, pois ainda não havíamos perdido a naturalidade. Hoje, tudo beira concorrência, comparação, tudo beira mais sobre o fato do que o outro vai pensar, do que sobre o que queremos e necessitamos realmente esmiuçar. A troca vai se tornando a opção menos plausível.

Por outro lado, li por aí que "coitado daquele que escreve um blog achando que o objetivo é receber comentário". Eu no ato discordei, mas sabe que hoje vejo que tem um certo sentido... Estaria esse indivíduo transcendendo ao que a maioria está fadada a ficar presa: opinião alheia? Pior, opinião alheia sem sentido? Pior ainda, opinião alheia sem sentido baseado nos poucos segundos compilados sobre nós, que nem de perto representam o todo? Ao mesmo tempo, qual motivo de manter o diário aberto se não para a troca? Para tentar fazer uns trocados? Talvez esta seja realmente a nova tendência...

Blog não é mais diário. Blog, na verdade, jamais deveria ter tomado esse posto. Foi apenas uma distorção em sua essência por conta da tecnologia. Dizem que manter um diário (escrito, secreto) melhora a nossa mente, desperta uma criatividade antes bloqueada, nos faz nos conhecer melhor através da libertação de nossos sentimentos mais primitivos, mas hoje nos propomos a fazer um "diário" que o mundo acesse e, ainda por cima, já temos que entrar nessa preparados para a opinião de terceiros. Isso o descaracteriza. Um diário não comporta julgamentos. É o guardião de nossas fragilidades. É um diálogo profundo - e não digo monólogo, pois é um conflito de opiniões entre os nossos tantos lados, de tantas maneiras, que não somos só um, nos descobrimos vários. É o espaço  da honestidade nua e crua com nós mesmos. Depois pergutamos: por qual motivo não consigo resolver tal situação se conheço tanto sobre ela? Pelo simples fato de estarmos mais servindo fora do que servindo dentro. Encorajo-o a ter um caderno fofo dentro do criado mudo lhe esperando todas as noites. A maior prova de sua mudança e evolução é aquela que você dá a si mesmo todos os dias. É aquele modo diferenciado de tratar tudo ao redor por outra perspectiva e com outra atitude. O que o outro vai tirar disso ou passar a lhe enxergar depois disso, ora, é problema dele... 


3 comentários:

  1. Seja através de um diário ou de uma agenda, anotar os nossos objetivos, as nossas decisões ou os nossos receios é uma ajuda fundamental para que tudo fico mais claro na nossa mente, mais organizado! Atrevo-me mesmo a dizer que é um passo importante para que tudo o que almejamos dê certo.

    ResponderExcluir
  2. Os diários deveriam ser sempre secretos!
    Acho desnecessária se expor demais nos blogs.
    Mas, como me expor um pouquinho tem me ajudado a emagrecer...
    Quando comentamos, quando damos um conselho, estamos aconselhando a nós mesmos!
    Adorei o post!

    ResponderExcluir
  3. Eu escrevo diários faz anos e acho que é uma terapia maravilhosa.

    ResponderExcluir