13 junho 2016

O projeto vida saudável

postado por Cottage Regressiva



O projeto vida saudável continua, mas é incrível, quando focamos no resultado final ficamos super animados, mas quando damos de cara com tudo o que precisamos passar para chegar até lá, levamos um choque e, na maioria das vezes, desistimos. Daí que vou continuar indo devagar, mas quero focar com carinho e paciência no processo. Preciso consolidar certos hábitos de uma vez por todas e os resultados virão naturalmente. Quero comer as gostosuras nas épocas das gostosuras, mas no cotidiano preciso dar ao meu corpo o combustível necessário para ele "jogar" a meu favor.

Os sentimentos, a relação que temos com o mundo (e com nós mesmos), o quanto suportamos as frustrações, são, na minha opinião, o que acaba por decidir como será esse processo. Mas chega uma hora que o problema aperta e que devemos pensar na possibilidade pura e simples de que temos escolha. É como o vídeo feito para um estudo nos anos 60 com algumas crianças que foram acompanhadas até a vida adulta. Elas eram colocadas sozinhas em salas e sentavam diante de um prato com um doce. Se elas conseguissem ficar sem comer até a hora do adulto voltar, elas ganhariam outro e poderiam ficar com os dois. Se comessem o doce nesse tempo, não ganhariam outro. Vendo o vídeo nós temos uma pena das crianças se contorcendo diante do doce, cheirando, quase mordendo... Nos parece que eles estão sofrendo (e até estão), mas a verdade é que elas tinham a opção de comer se quisessem, mas resolveram decidir diferente para ganhar o bônus no final ou seja, não estavam sendo maltratadas. O estudo provou que aqueles que conseguiram resistir ao doce se tornaram adultos bem resolvidos na área profissional e com boa estrutura familiar. Os que não conseguiram se tornaram adultos sem qualquer propósito e com vidas conturbadas. O que quero analisar com isso é que temos sempre escolha, mas a nossa cabeça precisa ser treinada minuto a minuto para decidir pelo bônus maior no final. Esse nosso imediatismo é que acaba com tudo, é que inviabiliza a concretização dos nossos maiores desejos.

Boa sorte, boa semana, boa vida! 


5 comentários:

  1. me sinto igualzinha. vinha num ritmo beleza de alimentação e conseqientemente emagrecimento. ai problemas c marido. dor no pé. me tiraram do foco. nao estou comendo muito como antes mas ainda nao estou no rumo certo. mas é um caminho né.

    ResponderExcluir
  2. Amei o post... também estou igual a vc sem pressa mas tentando focar no resultado que obterei ao final do processo... não tem como não se imaginar já magra e saudável... acho que isso que incentiva a prosseguirmos e a nunca desistir de tentar! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Aii Raquel.. nem me fale... pra mim o que ainda pesa é a ansiedade, e é nisso que eu preciso de foco. Mas tenho conseguido. Manter-se em paz em em dia com as emoções tem sido um treino e tanto. E a balança agradece, e o corpo também.

    beijos

    ResponderExcluir
  4. olhaa pela primeira vez na vida estou conseguindo emagrecer, e sem desanimar, consegui finalmente participar do vigilantes do peso, e compartilhar cada semana com o grupo e fazer a pesagem tem me ajudado, apesar de eu ainda n ter feito corretamente como deve ser, mesmo nesse período de festa consegui emagrecer 1,200kg em tres semanas, antigamente largaria a dieta por achar pouco, mas hj é diferente pq venho comendo de tudo sem passar vontade... então aos poucos chego lá!
    beijos boa sorte

    ResponderExcluir
  5. Rachel, eu sou a pior compulsiva alimentar que eu conheço. Estou precisando TANTO, TANTO me colocar no caminho. Estou sofrendo e, principalmente, estou com vergonha. Uma vergonha devido meu histórico. Só mais um motivo para querer APENAS COMER.

    afimdeviver.blogspot.com.br

    ResponderExcluir