14 julho 2016
postado por Cottage Regressiva




Já me senti uma fraude em estar aqui falando sobre emagrecimento e até já compartilhei esse sentimento por aí. Hoje vejo que não se trata de fraude, se trata de ser um humano complexo e único. Cada um com suas histórias, com suas vitórias, dores e memórias. Cada um com seus sentimentos bem ou mal resolvidos. Cada um com seu cada um. Já eliminei nesses anos tanto peso com o suor do meu rosto e recuperei e perdi e recuperei. Mas eu sempre tentei. Nunca abandonei o que sei que é o certo a se fazer por mim.

Ontem fiquei muito emocionada vendo o desabafo da Ana de Césaro (do projeto Ana Gostosa) no Youtube e como eu entendo. Entendo o sofrimento, entendo o desespero, as dúvidas, essa sensação de se empanturrar hoje (mesmo sem ver a menor lógica nisso) e tentar se redimir ficando sem comer amanhã. Entendo. Entendo no que a comida pode ou não ajudar, entendo até que ponto a comida pode anestesiar, te tirar dos seus buracos mais escuros em segundos até que você esteja lá de novo. 

O grande ponto da questão é: não somos desistentes. Somos errantes a procura de conserto. Imperfeitos a procura de desvendar a nós mesmos. Tão cheios de sentimentos, que inflamos e desinflamos como quem grita para dentro e para fora todos os dias. Tentamos consertar o mundo, amenizar dores, ser perfeitos e esquecemos que nem tudo tem conserto, nem tudo anda em linha reta, nem tudo admite o NOSSO controle. Perfeccionistas e controladores. Carregam o mundo nas costas e se sobrecarregam. Chega uma hora que o corpo cobra e a mente também. O que podemos fazer? Respirar e ir fazendo SÓ POR HOJE o melhor que podemos POR NÓS MESMOS. Daqui para frente. Sem arrependimentos. Sem comparação. Largando no caminho o que foi ou o que poderia ter sido para ser o que pode e deve ser daqui para frente. Em frente. Enfrente.  


12 comentários:

  1. Oi Rachel, perfeita sua percepção em relação a nossa batalha diária, não podemos esquecer que somos humanos, cada um com sua história, com seus motivos e objetivos de onde estamos e onde queremos chegar, não podemos esquecer que temos uma vida além de um peso na balança, é claro que o nosso objetivo tem que ser eliminar peso com saúde, mas acho que algumas pessoas esquecem de 'viver' enquanto não conseguem chegar ao seu "peso ideal', já somos vitoriosas em não desistir, um dia de cada vez, acertando e errando, porque a vida não é só feita de vitórias, mas com certeza chegaremos lá, eu acredito! Bora continuar...

    ResponderExcluir
  2. Nossa seu texto falou muito comigo, é realmente assim que me sinto!!!
    Decidi que viverei um dia de cada vez!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica mais fácil assim, Verina! Vale tentar! Um beijo e boa sorte

      Excluir
  3. Eu lí muito o seu blog e ainda acompanho e sempre vejo esta humanidade e sinceridade em você. Muitas pessoas querem passar uma imagem de que fazem dieta para o mundo, mais para dar satisfação para os outros que para se tornarem mais saudáveis. Depois de passar a minha adolescência ''com peso normal'' e no final dela ficar anoréxica e depois ficar ''sanfonando'' de 40 a 60 e poucos quilos ouvindo críticas e opniões das pessoas as quais eu nem pedí:''Você tem que parar de emagrecer!'' , ''não, fica assim, agora mais gordinha você fica melhor''... eu passei a tomar conta do meu corpo e me responsabilizar pelas minhas atitudes sem me preocupar com o que os outros falam mais. São muitos blogs sobre emagrecimento, mas os que eu continuo a acompanhar e a manter contato com as donas é porque eu vejo que são pessoas reais. Lí uma reportagem sobre a obesidade e a perda de peso e no quanto o metabolismo é afetado. Um estudo com 14 pessoas com mais de 100 kgs que perderam em alguns casos metade de seu peso em 7 meses revelou que nos anos que se seguiram eles todos com excecão de UM recuperaram todo o peso e alguns ficaram mais pesados. O metabolismo deles não funciona como o de uma pessoa normal então eles nem comem tanto assim, mas o corpo não queima as calorias direito. Então um deles resolveu comer apenas 800-1500 calorias por dia e fazer 3 horas de ginástica todos os dias só para manter. È triste isto, viver escrava da balança, do exercício. Mas eu descobrí que é tudo uma questão de momento. Quando o momento é bom, é mais fácil manter disciplina, quando a vida está uma merda... fica mais difícil e engordamos rápido. Emagrecer é que é difícil. Todas nós anoréxicas, gordinhas, obesas, bulímicas, atléticas e vigoréxicas, cheínhas... que temos um transtorno alimentar estamos no mesmo barco, mesmo que fisicamente possamos ter tipos de corpo diferentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tão maravilhoso seu comentário, Anna! Sempre uma luz. Uma querida. Gratidão por compartilhar

      Excluir
  4. te entendo tão bem linda! esse post me descreveu inteira <3

    ResponderExcluir
  5. Chorei! "Somos errantes a procura de conserto. Imperfeitos a procura de desvendar a nós mesmos."

    Sou isso...

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Rachel , como sempre seus posts me fortalecendo. Estou andando muito desanimada e acabo descontando todas as emoções na comida .. Mas enfim desistir eu não desisto , recomeçando aqui de novo... E como você disse vamos em frente. Estamos juntas . Ótimo final de semana. beijos

    ResponderExcluir
  7. Rachel sua linda, que sábias e tocantes palavras!
    Me identifiquei muito com elas. Realmente não somos seres desistentes e sim errantes na busca de nosso aprendizado. E tudo vale se o sofrimento passa e o aprendizado fica...

    Todos nós somos guerreiras e vitoriosas (os) pelo simples fato de sair da zona de conforto e tentar.

    Parabéns Rachel! Lindo post!

    ResponderExcluir
  8. Conheci seu blog hoje e não consigo parar de ler. Adoro o que você escreve e como você escreve. Parabéns!

    ResponderExcluir