13 setembro 2016

Decisões segundo a segundo

postado por Cottage Regressiva

Via 

Eu adoraria que a vida fosse feita em blocos como os filmes e os seriados para que a gente pudesse pular as partes chatas: ficar horas diante do guarda roupa escolhendo algo, procurar o chaveiro, lavar os pratos, guardar os pratos, ficar uns 40 minutos chacoalhando dentro de um ônibus para chegar a algum lugar, haja paciência. Sentimento mais raro em mim do que delineado gatinho (por enquanto para ambos). 

Hoje subi na balança, e é isso mesmo, uma sanfona danada. Eu nem perco mais tempo xingando a genética, indo contra mim no espelho ou lamentando a falta de força de vontade (seja lá o que isso signifique). Eu simplesmente continuo... Nunca estive de braços cruzados diante disso... Cancelo os pães em excesso, os doces extras, os doces extras além dos extras, bebo mais água, diminuo as porções, como mais salada, faço feijão (isso me ajuda oras)... 

A sanfona se fez por conta da minha querida obra, ou melhor, por conta das decisões que precisei tomar nos segundos em que estava me estressando com a obra. E nem vou colocar a palavra querida em aspas, porque daria a ideia de que estou mais odiando essa fase do que amando e isso não seria verdade. Tem uns 10 ou 15% que me irritaram profundamente e que claro (como o prudente Edward Murphy nos ensinou) acabaram dando errado, mas é um grande feito se concretizando e eu estou muito feliz. 

O que não quer dizer que eu já consiga ficar sem ligar para pizza quando vejo que a pia da cozinha (pedra caríssima) ficou mais para torta. O que não quer dizer que pós discussão acalorada com pedreiro cabeça oca eu não fique só pensando em banho, livro e... no pavê incrivelmente crocante de doce de leite da esquina, mais conhecido como "ameniza dores" - e agora aspas merecidas. 

A vida é aprendizado. É saber mais sobre limites e tomadas de decisões segundo a segundo do que a gente imagina. Aquele "não", difícil de sair da garganta, faz milagres incríveis pelo todo, na maioria das vezes, sabia? Agora estou mais focada nisso do que qualquer outro movimento... Não sou boa em equilibrar dois ou três grandes projetos ao mesmo tempo, mas a vida é tão isso... E admitir já é um grande passo rumo à solução.


No momento minha inspiração tem sido os ensinamentos de Rachel Newman (YouTube).
Vai lá!