03 abril 2017

O choro nosso de cada dia

postado por Cottage Regressiva

Fonte

Sempre fui muito chorona. Sempre. Tão chorona que sou capaz de iniciar uma discussão com você - na qual eu tenha total razão - e no meio começar a chorar. Sim, é meio chato, viu! Mas é algo que faz parte de mim. 

Alguns estudiosos dizem que chorar é uma forma de comunicação grandiosa. E aqui não estou focando nos bebês para chamar atenção de sua mães e blá blá blá. Estou falando sobre o comportamento de um jovem ou adulto - mulher ou homem - que através de lágrimas coloca para fora sentimentos que não conseguem traduzir em palavras. Dado este fato, talvez eu entenda minha "tendência" em chorar muito. Fui criada na maior parte da vida por dois homens (que amo), mas que sempre foram bem durões. Em casa era difícil o diálogo, então, o conjunto de emoções mal resolvidas eclodiam em lágrimas. 

Já fiz até como a Charlotte*, chorei em trabalho, morri de vergonha, mas hoje eu tenho ABSOLUTA certeza de que meu choro foi de: "o que estou fazendo neste trabalho de merda, perdendo tempo de vida"? Amadurecimento faz isso, faz a gente se entender mais e a ver tudo como benção na grande maioria das vezes ou seja, hoje sei que meus choros mais sentidos significaram: "a vida é isto, é isto, é mesmo isto"? 

Ou seja, antes eu lutava contra elas, as lágrimas. Considerava fraqueza. Hoje, vejo pura e simplesmente como uma forma de expressão das mais sincera. Tão sincera que paro, respiro e me coloco em meditação para de duas uma: ou agradecer muito ou pensar sobre soluções práticas para o que estou vivendo, sentindo, passando. Acredite, por vezes, as lágrimas brotam antes mesmo de você saber o significado. Cansaço? Reclamando de "barriga cheia"?  Talvez não, então, que lhe sirva de alerta.

Uma outra técnica interessante é manter um diário. Eles não só ajudam a manter um pensamento mais organizado sobre o que você precisa alinhar em sua vida, como revelam sentimentos antes não notado sobre você mesmo.

* Sex and the city


2 comentários:

  1. Também sempre fui considerada "chorona" mas hoje eu já sei que as coisas estão ruins MESMO quando eu não dou conta sequer disso - nos últimos anos aconteceu bastante. Quando voltei pra terapia em setembro do ano passado e consegui chorar, fiquei aliviada e percebi que, ali, naquele momento, íamos começar... Quando me vejo chorando, imediatamente penso: ufa, estou viva! E nem sempre as lágrimas surgem devido a emoções negativas, às vezes eu quero chorar só porque o céu tá bonito ou porque algum bebê sorriu pra mim, sabe?

    PS: Preciso voltar a fazer diário, aiai...


    :* Rachel!

    ResponderExcluir
  2. Eu sou do tipo de pessoa que preciso chorar.
    Verônica

    ResponderExcluir